Desilusões líquidas

O sofrimento é panaceia, é o perfeito combustível. Aliado à solidão torna-se manjedoura das nuances memoráveis e ricas, e também das invisíveis ou parcas. Ainda que seja esse o motivo pelo qual nós estamos aqui, ninguém quer sofrer, nem mesmo aqueles homens tão incomuns que precisam alimentar-se de suas panaceias, combustíveis, manjedouras e nuances para que encontrem seu sentido. Por outro lado, secas longas em que não há sementes e somente se pensa na fome podem induzir a outras vertentes, que ao seu próprio modo e com suas centenas de máscaras sobrepostas materializam-se. Acontece que algumas vezes, em meio à bonança, o sofrimento retorna. E retorna com força…

Curiosa flexibilidade, somos ribeirinhos, água doce sempre repassando por nossa morada.