Miyamoto Musashi

Acabei de ler Musashi hoje. estou impressionado e fui impactado pelo modo brusco que Yoshikawa termina o livro. Bem…

O livro original é japonês, e imagino a dificuldade que teve o tradutor para fazer seu trabalho. Comparando com o que conheço da mídia japonesa que chega à minhas mãos, acredito que Musashi está na média. Um romance que se arrasta da maneira bem particular dos japas. Fica uma espécie de romance histórico água com açúcar que varia do amor chove-não-molha às “peripécias” do samurai, parando algumas vezes para observar a paisagem. Leitura leve e divertida, nada que grude na cabeça exceto o fim abrupto.

musashi-2-volumes-1-altaOlhando referências da internet sobre Musashi, me deparei com uma verdade inegável no que diz respeito ao duelo de Sasaki Kojiro e Miyamoto Musashi.

“Musashi venceu o duelo espiritual quando Kojiro lançou a bainha fora (Kojiro aperfeiçoou a técnica Katayama de extrair a espada da bainha e golpear com rapidez abatendo andorinhas). Kojiro lançara mão justamente no que era superior a Musashi: a técnica. Musashi era o mais preparado espiritualmente por não se apegar a vitória ou a vida.”

http://www.evandromaciel.com/archives/004802.html

A busca espiritual a que se refere o trecho citado acima tangencia a colcha de retalhos que é a obra de Yoshikawa, e essa busca o torna uma espécie de Galahad japonês!

O texto inteiro acaba restrito a quem gosta muito de samurais e de “coisas japonesas”, valerá a pena ler esse livro se você estiver disposto a aprender com o maior guerreiro da historia do Japão.