Auto-análise

Descolei a etiqueta
aquela que devia ter
mas apaguei o meu nome
rabisquei uma nota qualquer
e logo depois eu cantei
exatamente no espaço
onde o rótula tava colado.

Escrevi uma sinfonia
em um pedaço de papel
suspirei de tristeza tarde
e derrepente me atropelei
encontrei você na metade
mas onde estou eu não sei
quem sabe na solda do anel.

Meus subsequentes passos
minha voz de tal timbre agudo
o nó que prendeu os laços
o fracasso que me faz mudo
me esconder atrás de você
ou do que acredito que sinto
estou consciente e ausente
olhando minha imagem e rindo.