Eu quero ser
uma via de acesso
quero silenciar com um sopro
os tolos que me menosprezam
quero retalhar munido de razão
as pessoas que riem de mim
eu nunca fui perfeito
aliás, fico o tempo todo
me culpando por meus erros.

Quero esmigalhar os ossos
daqueles que não me respeitam
eu quero fuzilar os malditos
enquanto a outra mão semeia
quero o senso de responsabilidade
e paz com meu pai eterno
meus olhos de fogo fátuo incendeiam.

Vocês não podem ver
a fúria contida em meu espírito
o guerreiro empunhando
o machado de guerra
cavalgando sobre a terra
eu quero ser
da batalha o regresso
contemplo vitória
com minha lança seu peito atravesso.