Aula RPG 02

Quando o grupo que tenha recebido a carta carisma decide que nessa perícia seu personagem será ruim, isso significa que ele está abaixo da média nesse quesito. No caso da perícia carisma, pode ser que por algum motivo as pessoas não se sintam bem ao lado do personagem, ou que ele tenha sérias dificuldades de se relacionar com outras pessoas. O grupo deverá criar explicações para isso, talvez o personagem seja esquizofrênico, ou simplesmente odeie tomar banho.

Mas o grupo pode decidir que nessa perícia seu personagem será bom, o que o coloca acima da média nesse quesito. Uma pessoa com carisma acima da média atrai outras pessoas, é agradável de se conversar, e sempre é uma agradável companhia. E finalmente, o grupo pode decidir que o personagem tem carisma ótimo, o que o torna uma pessoa que realmente se destaca das outras. Alguém que faz amizades com facilidade é sempre muito popular e costuma ter amigos em toda parte.

As cartas de personalidade são 6 no total, e a tarefa nesse caso é mais fácil, porque o grupo apenas selecionará uma das cartas. Essas cartas servirão de guia para o comportamento do personagem.

Logo que todos os grupos tenham terminado de selecionar e atribuir valores às cartas que receberam, o professor pedirá que o grupo transforme em texto as escolhas que fizeram, descritas anteriormente. O professor não estipulará um número mínimo ou máximo de linhas, e não é obrigatório que os alunos sigam alguma fórmula ou gênero, mas certamente um diário é o que mais se encaixa na proposta, o que pode ser sugerido. É interessante apresentar algumas perguntas que podem ser respondidas no texto, nada obrigatório, apenas perguntas que podem ajudar os grupos a terminar suas tarefas: Qual é o seu Nome? De Onde você vem? Onde você Reside atualmente? Como você se Parece? Como foram sua Infância e Adolescência? Quais são suas Virtudes e seus Vícios? Qual o seu estilo de Vestir? Quais as coisas que você mais Gosta e quais desgosta? Qual é o Princípio que mais valoriza?

Após a entrega dos textos feitos pelos grupos, o professor pode dar oportunidade aos grupos de apresentar brevemente seu personagem, sugerindo inclusive que digam o que acharam da aula. A avaliação dessa aula é pautada na transferência da escolha do grupo para o papel e também na avaliação da própria aula pelos alunos. A idéia é de que todos os presentes, inclusive o professor, são um grande grupo empenhado na tarefa da criação.