Diferenças

A diferença entre pessoas de 20 e de 30 anos.

Hoje é dia 12 de Janeiro, estou me aproximando da minha terceira década nessa terra. Não conto os primeiros dez anos como vida, porque eu ainda estava aprendendo a andar e falar direitinho, e certas coisas úteis como escrever, o que certamente me ajuda até hoje, como podem ver quando conseguem ler esse blog (ahahahah eu fui sarcástico, eu fui sarcástico, por favor alguém me segure!!).

Okay, okay, vou tentar retomar a introdução que estava lentamente me conduzindo ao título do post: Fato é que estou completando essa idade “mega-assustadora” e acho ainda muito engraçado quando vejo que o cara do espelho é praticamente o mesmo de 10 anos atras. Só que algumas coisas mudaram, e ontem minha pequenina namorada reuniu uma galerinha da idade dela ao redor de uma piscina (estava um dia muito quente), e o contato com o povo 10 anos mais jovem me fez mergulhar (altistar) nos aspectos que me diferenciavam de todos, TODOS que estavam ali ontem.

Eu tenho uma certa dificuldade de ouvir a palavra “não”, e acredito que isso vem do fato de que nada é absoluto. Não lembro direito porque eu acredito nisso, mas caraca, também não me lembro de um único “NÃO” que tenha se mantido desde meus 10 anos de idade até hoje. São duas as opções, eu posso ter algum tipo de lapso de memória ou então esses belos 10 aninhos fazem alguma diferença. Exemplos de algumas negativaçaaaas que se tornaram positivas são os prédios do World trade center, essas experiências com clonagem, o Brasil sem inflação e Lula na presidência; e esses exemplos que estou dando são os genéricos, porque posso até ser mais específico e citar pessoas e situações. Não vou fazer isso aqui porque o post fica longo demais(ele já está) e porque a maioria dos que lerem não vão conseguir entender. Mas voltando, eu te garanto que ninguém, NINGUÉM SEQUER IMAGINAVA QUE AINDA VIVOS veriam os Estados Unidos serem atacados como foram no onze de setembro. Vai dizer que você não achava os caras indestrutíveis, intocáveis? E por fim, eu mesmo evito dizer “NÃO, VOCÊ ESTÁ ERRADO” para as pessoas, até porque eu não sou o dono da verdade.

O motivo desse post é com certeza eu ter sido censurado trocentas vezes com esse tipo de negativa no dia de ontem, isso me deixa um pouco desconcertado. Não vou procurar justificar nada, eu simplesmente não sinto necessidade disso, mas sim de estabelecer diferenças. Acho que quando a gente tem 20 anos rola um instinto questionador, você não conhece e está procurando entender o mundo, as questões são confrontadas com a lógica, “se não é de fácil compreensão provavelmente não é verdade”. Eu adoro o empirismo, acho bonitinho o lance de testar e comprovar. Só não acho que isso tem que nortear nossas direções. Tem muita coisa que não é de fácil comprovação, e coisas que são fato por si só.

E o mais doloroso é pensar o seguinte: Talvez falte respeito. Talvez eu tenha que me dar ao respeito. O povinho me tratou como igual, talvez isso tenha feito diferença. Por mais legalzão que eu seja, não sou um moleque de 20 anos. Ser comparado a isso me deixa até mal. Eu já passei por bastante coisa, não sou um velho, não sou um menino. Falta pouco para que eu possa dizer-me pleno. Nossas atitudes são norteadas pela lógica sim, claro, mas a experiência apesar de não ser bicentenária é de uma década. Convenhamos galera: uma década faz diferença. Nós da casa dos trinta já demos a cara a tapa, já caímos para depois nos levantar, já arriscamos tudo para conseguir um sucesso além das espectativas, já perdemos muito já vencemos muito.