Mídia, eventos e o nosso RPG

Ontem eu estava com um longo post escrito sobre construção de personagens loucos, mas houve um problema com o micro e perdi o texto todo sem ter nenhum rascunho. Triste, mas acontece às vezes…

Já que este micro aqui do trabalho é novinho em folha e nunca deu problema, as chances de isso acontecer são remotas, porém, não lembro nenhuma palavra do que havia escrito ontem, apenas uma idéia geral.

Sendo assim, Vou ter que tocar em um assusto recorrente, até porque sou EXTREMAMENTE a favor da popularização dos jogos de RPG e Board Games (especialmente as centenas de jogos internacionais)! Não entendo o que acontece aqui na minha cidade, mas parece que existem MUITAS pessoas que se interessam por esse tipo de jogo e dá para acreditar que exista uma “perseguição midiática” impiedosa com qualquer tipo de lazer que fuja ao lugar comum carioca de praia-shopping-academia.

Os mesmos meios (refiro-me principalmente à televisão) que fazem bombar MEGA-FESTAS à fantasia são severas em criticar(ou apresentar ao público de forma bastante tendenciosa) lives de vampire… Não entendo direito a diferença VISUAL entre os dois, mas temos que prestar atenção que esses eventos tem patrocínios e uma divulgação ampla por conta disso.

Não que eu não goste de festa ou cerveja, mas convenhamos, o lance dessas mega-festas não são as fantasias e sim a bebida e pegação! Não acho que seja algum tipo de preconceito, os propósitos são bem diferentes. Não há, definitivamente, um espaço apropriado na mídia e nos eventos cariocas para atividades deste tipo, mas eu ando pensando nos eventos de Anime, e talvez esse seja um caminho! Expandir os eventos e torna-los centros também de RPG e Board Games.

Claro que eventos de Animes não possuem nem de longe espaço adequado na mídia, sendo um espaço BASTANTE alternativo, mas isso é um bom começo. Não sei a quantas andam os Anime-center da vida aqui no Rio de Janeiro, talvez o processo já tenha começado, mas podemos e devemos querer mais.