Poetando e jogando!

BARDO2Há poesia em tudo, meus caros. Veja: No romance que não rolou há poesia, há poesia na bela moça (ou rapaz) que cruzou com você ocasionalmente na esquina, há poesia no sol, nas nuvens… Porque não esticar este domínio além? Você já tentou escrever uma poesia? Tem vergonha dela? Fica orgulhoso quando lê?

Nosso assunto aqui neste blog é RPG, os não-tão-populares-como-a-gente-gostaria jogos de interpretação, e acredito que seja um caminho para a poesia. Você não acredita? Puxa… Que triste… Como eu costumo repetir e repetir, nós devemos usar de todas as formas possíveis para levar cultura às pessoas que nos cercam, e o que são os jogos de interpretação de personagem(RPG)?

Sim, um prato cheio…

Vou colocar 5 meios de alcançar a poesia nos jogos, são tópicos para qualquer pessoa ler, e espero que depois disso você, leitor, consiga levar a poesia um passinho adiante.

1 – TROVADORES! Vocês conhecem, nosso amigo de muito tempo, aquele dançarino branco como cera, magro igual palito, fazendo movimentos loucos, dando gritinhos questionáveis e usando roupa brilhante e um chapéu louco… Ele mesmo… Esse cara pode estar na sua taverna, aquela que você criou para iniciar alguns amigos no Roleplaying Game… Ou então pode ser sutilmente(se é que isso é possível) colocado naquela aventura básica que você pegou na internet para tentar convencer sua namorada(fã do tal trovador) de que RPG é legal… Claro que não precisa usar obrigatoriamente esse trovador, talvez você ache ele muito excêntrico… Pode ser algo mais sutil como lenine, pop como Vanessa da Mata…

2 – EnIgMaS… Bem, todos aqui já devem ter ouvido falar na história de Édipo e a Esfinge certo? Ou filmes de investigação como o Código da Vinci ou Sherlock holmes? A idéia é colocar nas aventuras a poesia em forma de enigma, um artifício batido e usado cansativamente, porém nunca discutido do ponto de vista da poesia. Nosso objetivo mesclar a poesia e o enigma! Então vamos usar poesias conhecidas para nossas aventuras e causar aquela impressão nos jogadores: “Conheço isso de algum lugar”.

No meio do caminho

No meio do caminho tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
tinha uma pedra
no meio do caminho tinha uma pedra.

Nunca me esquecerei desse acontecimento
na vida de minhas retinas tão fatigadas.
Nunca me esquecerei que no meio do caminho
tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
no meio do caminho tinha uma pedra

Carlos Drummond de Andrade

Que tal os personagens de seu jogo encontrarem esses escritos, em uma língua desconhecida, inscritos em uma pedra ocasionalmente achada no meio do caminho? Caso tenha um grupo de jogadores sem-noção, faça a pedra brihar…

3 – Cantrips. O que é isso amigo? Caso você nunca tenha ouvido falar de Cantrips, saiba que é uma grande idéia que eu li pela primeira vez no Gurps Magic… É a poesia mágica! Você pode impor isso aos jogadores, imagine só um castelo onde as magias somente funcionam se forem declamadas com composições improvisadas. As poesias mais criativas merecerão um efeito mais surpreendente e positivo, as toscas podem chamuscar os personagens!

4 – V de vingança! Personagens coadjuvantes podem ser um atalho para a poesia também… Quem já viu esse filme, V de vingança, vai perceber como “V” fala rimando… Um personagem importante que só se comunica através de poesias é algo peculiar, marcante e que enfim poderá enriquecer o mundo cinzento de seus jogadores.

5 – Tesouros. Nem todo item tem que ser uma roupa jóia ou arma. Que tal uma poesia? Um pergaminho que sempre muda. O jogador poderá improvisar uma poesia(aleatória) toda vez que ler o pergaminho, e isso causará sempre um efeito positivo caso ele se esforce em criar algo razoável. Mas o efeito tem que ser aleatório, ou então direcionado… Um pergaminho de cura por exemplo, ele pode limpar um ferimento levemente ou trazer um morto de volta à vida, isso vai depender da criatividade do jogador.

Espero que esses conselhos possam ser úteis, podem ser usados não só em Jogo de Interpretação de personagem, mas também em histórias, contos…

Um grande abraço J.Berkel