Descansar é viver

Existe um estado preguiçoso da alma. Não tem ela relação com absolutamente nada de ordem física, essa condição aponta para um cansaço com relação ao mundo, esse nosso bom e velho mundão que insiste em se repetir ou reeditar e com a impaciência com relação às coisas que não acontecem ou demoram a acontecer.

Essa condição da alma exige um reinício, mudança de perspectiva, pois costuma carregar as pessoas ao caminho da depressão, é a parte ativa e efetivamente produtiva e que leva a resultados práticos. Mas esse estado da alma, por outro lado, pede por momentos de descanso em que necessitamos de paz e/ou silêncio, noites bem dormidas e conversas agradáveis com amigos agradáveis(bem ou mal todo mundo tem ao menos um amigo que é de fato agradável quando engajado em bate-papos informais), é a parte abstrata da mudança, é de fato o que nos leva à tomada de atitude.

A inércia nunca é de todo ruim, nós temos que nos adaptar a todo tipo de situação, viver intensamente até os momentos em que tudo o que necessitamos é um tempo para descansar. Descansar também é viver.