O exercício do sorrir

Acho que é minha ingenuidade o problema. Esta leveza que trago no esforço que faço para estender sorrisos, que não tenho em mim, mas ofereço… Há nobreza em mim, há bravuras não reveladas, e tenho na bainha banhada em sangue a adaga.

Nobre falha da ingenuidade, que eu deveria algumas vezes deixar de lado para poder sorrir por completo, com naturalidade e sem um alvo certo.


Sorrir para mim.

sorrir