XVII – Capítulo 07 – Profecia

A primeira missão de Vieira completou-se logo que o manto do prefeito foi passado para seu devido representante. A partir dali o padre tomou o rumo de Alexandria, até porque haviam relatórios para entregar à igreja. A viagem de retorno foi tranquila, e o padre passou alguns dias tranquilos na cidade. Até uma nova convocação de Athos, o arcebispo.

O homem estava preocupado, e não fazia questão de esconder. Haviam boatos sobre uma profecia, sobre a chegada de um mal inominável, e Vieira ficou boquiaberto quando Athos contou-lhe que no meio dessas tramas apocalípticas estava ninguém menos que o índio Piamã. Sua nova missão seria descobrir o que andava acontecendo. Vieira sabia que Piamã estava acompanhado pelo cruel aymoré Yakekan, desde o dia que lhes confiara uma pequena tarefa, mas sobre os outros que viajavam com ele nada sabia. A mando da igreja Vieira partiria novamente, dessa vez em busca da cidade das amazonas, o que não passava de um boato, mas ele não poderia contrariar seus superiores.Lost_in_Jungle_2_by_LumiereSombre

Tomou então o padre o caminho para o interior das florestas, até o ponto em que encontrou-se perdido e sem comida naquele ambiente hostil. Continuou perambulando nesses caminhos sinuosos até que e por fim desfaleceu. Acordou ainda entre árvores, mas tendo diante de si aqueles que procurava. Logo acordou, o padre viu-se frente a frente não só a Piamã, mas também ao bárbaro Alberich. Ali também teve a oportunidade de ver pela primeira vez uma amazona: Aurora, de belíssimo corpo feminino, e ficou curioso com sua bela e grave voz.

Amazonas viviam em cidades na floresta, mas como Aurora haviam poucas pois ela tinha detalhes fisiológicos que, se expostos, levariam um colono ou português ignorante a classificá-la como homem. Mas essa não é a verdade do mundo, apenas a verdade de alguns brancos, e talvez por isso nenhum homem tenha visto “uma amazona macho”.