A prece

Eu preciso, ando precisando…

De um toque divino, conto.
Ilha-do-Governador1-300x249
Ando sobre o quebra-mar
e apenas Geni tem beijos
ardentes sobre a areia suja
na praia da Guanabara

Ainda há alguma luz
mas as estrelas e a lua surgem
Eu penso em flores, penso no mundo.
Tropeço em um flamboyant
e tenho uma crise de compaixão.

Vejo pássaros sobre galhos
de uma pitangueira
Uma cigarra berra aqui perto
É uma visão de minha canção

Onde o sereno esvanecerá com a noite.

Ah, poetinha,
os pescadores já não gemem
Estão todos lá na ponte
Pra gente não esquecer

As estrelas e a lua surgem,
recebo luzes que se acendem
se espalham em pontos brancos
até o morro do ouro
e dentro das casas…

então, suave e meiga chega
a resposta esperada, giz
a partir dessa prece ligeira
o toque divino que vi

sem que eu percebesse,

não pôde ser medido.

Um comentário sobre “A prece

Os comentários estão desativados.