A menina que roubava livros [filme]

Quatro_legais
Quatro Legais!

Uma das coisas mais comuns é todo ano vermos filmes e mais filmes que falam sobre guerra, direta ou indiretamente. Esse filme, adaptado da obra homônima de Markus Zusak, tangencia a guerra de de modo a dialogar com filmes como O Labirinto do Fauno ou O menino de pijama listrado. A abordagem de Brian Percival fica por aí, justamente entre esses dois filmes. Talvez a novidade maior esteja a cargo da importância que as letras fazem na vida da pequena Liesel, o que aparece bem no filme e merece respeito. O que não gostei foi o inglês britânico interrompido toda hora por todos aqueles nicht  e nie… Ficou estranho! Tenham vergonha na cara e falem alemão, oras!bookthief

“A Menina Que Roubava Livros” consegue ser delicado e consegue ser uma boa história contada pela telona. Talvez tenham acontecido equívocos cinematográficos, mas eu gostei. Gostei da narração da morte, e achei inclusive que ela (a voz da morte) podia aparecer mais. Gostei da interpretação da Liesel. Achei que o filme consegue ser duro, tenso algumas vezes, para mostrar como era tenso viver naquela Alemanha. Por ser a filmagem de uma história contada em livro, o filme merece respeito por convencer o espectador. Não é fácil fazer filmes adaptados à altura de seus respectivos livros.

No mais, para quem é brasileiro as consequências da guerra na vida das pessoas é um assunto complexo e distinto da experiência histórica retratada no filme em questão, até porque a guerra no Brasil acontece de forma diferente, mais parecido com o que vimos em Tropa de Elite. O filme acaba ganhando uma cara de “é assim que as coisas funcionam lá”.