Poema em linha reta – Fernando Pessoa

(Álvaro de Campos) Nunca conheci quem tivesse levado porrada.Todos os meus conhecidos têm sido campeões em tudo. E eu, tantas vezes reles, tantas vezes porco, tantas vezes vil,Eu tantas vezes irrespondivelmente parasita,Indesculpavelmente sujo,Eu, que tantas vezes não tenho tido paciência para tomar banho,Eu, que tantas vezes tenho sido ridículo, absurdo,Que tenho enrolado os pés publicamente…

Veris leta facies

Escrito por Marcela Belo; parte do texto extraído do encarte original do disco Em meio à secularização de 1803, um rolo de pergaminho com cerca de duzentos e cinqüênta poemas e canções medievais do século XIII, chamado Codex Latinus Monacensis , foi encontrado na biblioteca da antiga Abadia de Benediktbeuern, na Alta Baviera. Havia poemas…

Amar – Florbela Espanca

Eu quero amar, amar perdidamente! Amar só por amar: Aqui… além… Mais Este e Aquele, o Outro e toda a gente… Amar! Amar! E não amar ninguém! Recordar? Esquecer? Indiferente!… Prender ou desprender? É mal? É bem? Quem disser que se pode amar alguém Durante a vida inteira é porque mente! Há uma Primavera em…