As rosas amo dos jardins de Adonis

Segunda Ode de Ricardo Reis As rosas amo dos jardins de Adônis, Essas volucres amo, Lídia, rosas, Que em o dia em que nascem, Em esse dia morrem. A luz para elas é eterna, porque Nascem nascido já o Sol, e acabam Antes que Apolo deixe O seu curso visível. Assim façamos nossa vida um…

Volta de passeio – Frederico Garcia Lorca

Assassinado pelo céu, entre as formas que vão até a serpente e as formas que buscam o cristal, deixarei crescer meus cabelos. Com a árvore de cotos que não canta e o menino com o branco rosto de ovo. Com os animaizinhos de cabeça rota e a água esfarrapada dos pés secos. Com tudo o…