Qualquer coisa que brilhe

PRADO, Adélia. Miserere, 2013: Ed. Record São eternos esta oficina mecânica, estes carros, a luz branca do sol. Neste momento, especialmente neste, a morte não ameaça, tudo é parado e vive, num mundo bom onde se come errado, delícia de marmitas de carboidrato e torresmos. Como gosto disso, meu deus! Que lugar perfeito! Ainda que…

As rosas amo dos jardins de Adonis

Segunda Ode de Ricardo Reis As rosas amo dos jardins de Adônis, Essas volucres amo, Lídia, rosas, Que em o dia em que nascem, Em esse dia morrem. A luz para elas é eterna, porque Nascem nascido já o Sol, e acabam Antes que Apolo deixe O seu curso visível. Assim façamos nossa vida um…

10 silêncios – Dia da Mulher (Parte 5)

Hei de silenciar-me, mas sem perder a ternura, jamais! A parte que me cabe nessa semana é homenagear, e faço isso passando a palavra a elas: mescalina há um deus qualquer que me impede de amar há anos de minha própria história um amor falso e líquido há crianças que não são meus filhos e meu…