Ode ao burguês

(Mário de Andrade) Eu insulto o burguês! O burguês-níquel, (…)

Letra, existência, memória.

A pergunta assombra. Quem sou eu? Sou a criança filha dos imigrantes nordestinos? Sou as coisas que eles me ensinaram, levando-me inclusive à igreja para aprender sobre Deus, ou aquilo que o

Poetando e jogando!

Há poesia em tudo, meus caros. Veja: No romance que não rolou há poesia, há poesia na bela moça (ou rapaz) que cruzou com você ocasionalmente na esquina, há poesia no sol, nas nuvens… Porque não esticar este domínio além? Você já tentou escrever uma poesia? Tem vergonha dela? Fica orgulhoso quando lê? Nosso assunto…